O que é EIP?

O EIP, sigla referente a Enterprise Intelligence Platform, é uma plataforma de inteligência empresarial que conduz cada usuário a uma experiência única, adequada especificamente aos seus hábitos de usabilidade e necessidade.

Apresenta as informações certas no momento certo, agrega inteligência e interliga tecnologia e todo o ecossistema de gestão disponível, não apenas da empresa, mas também com dados do mercado da sua região e do mundo.

Dessa forma, um ERP está contido na plataforma do EIP juntamente com vários outros componentes.

Enterprise Intelligence Platform (Plataforma de Inteligência Empresarial)

O conceito

O conceito de EIP ajuda as empresas a lidarem com o controle das suas operações, não focando somente nos resultados - perdas e lucros -, mas em toda a cadeia produtiva.

Afinal, é preciso cada vez mais que as operações de negócios fluam de maneira fácil e assertiva, sem gerar gargalos, causados por falhas na comunicação entre diferentes setores e tomadores de decisões e erros ocasionados por intervenção humana, por exemplo.

EIP

Como surgiu o EIP?

O ERP como conhecemos (Enterprise Resource Planning), ou como seu próprio nome diz (Planejamento de Recursos Empresariais), integrado às novas evoluções tecnológicas, já alcançou outro patamar de entrega, tornando seu nome obsoleto para o que vai oferecer nos próximos anos.

Foi aí que surgiu o novo conceito de EIP, que integra toda a realidade da atual era digital, associada aos conceitos de gestão empresarial, capaz de unir as empresas com o mercado.

O EIP reúne as novas tecnologias disponibilizadas nas últimas décadas, como BI, Internet das Coisas, Cloud, IA/ML, IOT, RA/RV, Big Data, Blockchain e várias outras, somadas aos novos recursos, à cultura de colaboração e ao antigo ERP.

O EIP é uma solução guiada pela inovação tecnológica e pelo uso racional dos recursos disponíveis (de insumos de produção aos colaboradores e fornecedores), que adequa as melhores práticas de controle e administração corporativa aos novos tempos.

Uma nova era se abre diante das empresas, que precisam escolher se ficarão no passado ou se darão um salto em direção ao futuro.

O termo já foi utilizado por algumas empresas nos EUA com um sentido bastante similar, porém, com sua usabilidade mais restrita, não contemplando a expansão do ERP.

Pirâmide ERP Pirâmide ERP

Os benefícios do EIP

O EIP surgiu para oferecer uma gestão mais direcionada e assertiva para os negócios. É a entrega da informação certa, na hora certa e para a pessoa certa. Veja abaixo quais são os principais benefícios:

O EIP guia com proatividade cada usuário de acordo com suas responsabilidades, evitando falhas e quebras nos processos, racionalizando e automatizando as várias interações envolvidas. Além disso, facilita e simplifica o acesso às informações necessárias. Aos diretores e gestores, o EIP viabiliza uma experiência única, facilitando cada tomada de decisão gerencial ou estratégica no momento certo.

Com o EIP, tudo isso se transforma. Na prática, ele conduz à melhor decisão. A partir de indicadores que a sua função dentro do negócio necessita, ele conhece a fundo e aponta os melhores caminhos para a tomada de decisão. O foco é propiciar a melhor experiência a cada usuário na realização do que precisa ser feito.

EIP integra toda a realidade da atual era digital à solução de gestão, como análises preditivas, blockchain, sistemas integrados, bots de atendimento e Machine Learning, Big Data, Internet das Coisas (IoT), plataformas de EAD (Ensino a Distância), micro serviços especialistas, fintechs, plataformas de colaboração e mobilidade, a fim de agregar inteligência ao conceito, se fazendo indispensável na gestão de negócios atuais.

Quais são as diferenças entre o ERP e o EIP?

Pirâmide ERP
Pirâmide ERP

ERP Integrado entre as áreas x EIP Integrado com o mundo

O ERP é um sistema que integra várias áreas de uma empresa, o que foi um grande avanço na época de sua criação. Mas, ainda que exista uma integração, esse conhecimento é compartimentalizado, disponível apenas para quem faz parte das equipes de cada área do negócio, repassando informações de operação e resultados apenas entre as áreas, sem informações externas de mercado.

Com o EIP (Enterprise Intelligence Platform), o conceito vai mais longe. O EIP integra a empresa com o mundo todo, não apenas os setores corporativos. Você pode receber, por exemplo, informações a partir de conexões com as redes sociais, interações diretas com os usuários e de contribuições que as próprias pessoas fazem no ambiente da plataforma de negócios da empresa. Isso vale para clientes, consumidores, stakeholders e todo tipo de entidade que tenha relacionamento com a corporação e que possa se manifestar no EIP.

Fale com um consultor arrow_forward

Enquanto ERP é sistema, EIP é plataforma

Hoje, os ERPs são desenvolvidos em formato de sistema. Um sistema fechado que obriga o usuário a se adequar às suas próprias regras. É o usuário quem deve se adaptar aos requerimentos do próprio sistema.

O EIP, por sua vez, apresenta mais facilidade e flexibilidade para conexões com outras plataformas, como as de serviços especialistas (ou microsserviços) de diferentes fornecedores em um ambiente totalmente colaborativo.

É uma plataforma com desenvolvedores diferentes, de empresas diferentes, dando mais autonomia para a empresa e, ainda assim, mantendo a sua total integridade.

O EIP se adequa à realidade de cada negócio, e não o negócio às características do sistema.

Fale com um consultor arrow_forward

Enquanto ERP é construído em linguagem proprietária, EIP é colaborativo

O EIP é construído em linguagem totalmente colaborativa. Cada pessoa pode criar as suas soluções e disponibilizá-las em uma loja ou em um ambiente colaborativo

Isso permite que os usuários compartilhem soluções e conhecimento, criando novas tecnologias não só para o seu próprio negócio, mas que podem ser utilizadas por outras empresas com a mesma necessidade em realidades diferentes.

Assim, é possível a inclusão de novas soluções usando um framework aberto ou integrando soluções em diferentes linguagens por meio de webservices (APIs).

Já os ERPs foram construídos em linguagens proprietárias, de propriedade do fornecedor do software. É ele quem determina como a sua empresa deve atuar na gestão, limitando a possibilidade de gerar novas ideias oriundas de quem realmente está no dia a dia da operação.

Fale com um consultor arrow_forward

Enquanto ERP é departamentalizado, EIP é de única jornada

Ainda hoje, os ERPs integram vários sistemas distintos, cada um cumprindo sua atividade específica na gestão, o que exige treinamentos em ambientes diferentes, com equipamentos apropriados para a execução de cada tarefa, sendo necessário que o usuário tenha vários aprendizados para execução de cada atividade.

O EIP guia cada usuário à solução que ele precisa no momento necessário. O foco é na melhor jornada para cada pessoa, enquanto hoje o usuário que utiliza um ERP precisa sair para uma solução de BI, entrar em uma outra plataforma bancária, acessar um outro sistema de fretes ou cotações etc. Ou seja, cada sistema resolve um problema de forma isolada e o usuário tem que acessar os diferentes ambientes.

Ao propor uma única jornada, o usuário percebe que está em uma plataforma de inteligência, sendo necessário apenas um treinamento correspondente a uma única plataforma, sem precisar mudar de ambiente nem entrar em equipamentos distintos, o que exigiria outros aprendizados.

Tudo que o usuário precisa pode ser encontrado na própria plataforma. Isso faz parte de um processo com começo, meio e fim, no qual todas as interações são realizadas no momento apropriado, da forma apropriada e personalizada aos seus interesses.

Fale com um consultor arrow_forward

Enquanto ERP prevê informações, EIP analisa informações para você

Nos ERPs, o sistema prevê relatórios e informações para que o próprio usuário faça as suas análises e tire suas conclusões. São eles que precisam estudar o comportamento do sistema para que apliquem suas decisões, que nem sempre estão baseadas nas melhores práticas de gestão, além de muitas vezes o usuário trabalhar às cegas, sem saber exatamente o que deve ser feito para atender a estratégia da empresa.

No EIP, o próprio sistema faz análises a partir de uma biblioteca de informações e recursos de Inteligência Artificial. Isso possibilita que o EIP se manifeste a respeito dos dados que estão no sistema e forneça insights, predições e alertas para que os usuários executem suas atividades ou tomem decisões baseadas em análises já produzidas e entregues pelo EIP ao conjunto de usuários que precisam daquela informação.

Ao estudar o comportamento do usuário, a plataforma de inteligência pode conduzir a aplicação dos fundamentos da gestão, o que é importante no caso de algumas pessoas da empresa não terem conhecimento de toda a estratégia.

Fale com um consultor arrow_forward

Enquanto ERP é passivo em relação à estratégia, EIP é orientado pela estratégia

Quando a empresa faz seu planejamento e define seu mapa estratégico, as tarefas dos colaboradores são organizadas de maneira que cada um, mesmo que não compreenda ou não tenha como conhecer todas as estratégias da empresa, seja conduzido pelo EIP a atuar dentro das suas determinações.

O ERP até hoje não oferece uma solução que conduz o usuário à gestão baseada na estratégia de forma automática, dependendo da decisão de cada usuário dentro do processo.

A Sankhya lançou também o Sankhya Om, sua primeira plataforma desenvolvida a partir desse novo conceito.

O Sankhya Om é uma plataforma inteligente que conecta as empresas com o mundo, aprendendo com o usuário e o conduzindo às melhores práticas de gestão de maneira disruptiva. A plataforma guia o usuário certo às informações necessárias no momento correto, conectando todo o ecossistema da empresa.

Fale com um consultor arrow_forward

A Sankhya lançou também em 2019 o Sankhya Om, sua primeira plataforma desenvolvida a partir deste novo conceito.

O Sankhya Om é uma plataforma inteligente que conecta as empresas com o mundo, aprendendo com o usuário e o conduzindo nas melhores práticas de gestão de maneira disruptiva, no qual a plataforma guia o usuário certo às informações necessárias no momento correto, conectando todo o ecossistema da empresa.

Quais os diferenciais do Sankhya Om?

Identifica gargalos de gestão

Com a visão de processos do Maha Gestão, o Sankhya Om permite que o usuário veja, de forma simples, onde estão seus gaps de processos e fornece orientações práticas de melhorias contínua e gradativa do seu negócio.

A plataforma que se adapta ao usuário

A área de trabalho é customizável com cards inteligentes, que guiam e chamam a atenção dos usuários para as principais rotinas que ele executa no dia a dia. Cada negócio possui necessidades específicas e precisa de uma gestão eficiente e integrada, que combine praticidade, evolução gerencial e tecnologia. Também é possível criar cartões personalizados, específicos para cada negócio.

A informação certa, para a pessoa certa, na hora certa

Com o Sankhya Om, é possível tirar dúvidas sem interromper o fluxo de trabalho. A solução possui uma base de conhecimento contextualizada e chat online, que oferecem eficiência e produtividade no dia a dia do usuário.

A empresa líder do seu segmento

A empresa passa a ter clareza dos seus diferenciais, comparando seus indicadores de performance e sua maturidade de gestão por processos com as principais empresas do seu setor de atuação.

Inteligência Artificial

O Sankhya Om dispõe de uma assistente virtual, que utiliza recursos de Inteligência Artificial para analisar seus dados e trazer, em tempo real, todas as informações relevantes para a tomada de decisão, na palma da mão.

Login único de acesso

O usuário ganha mais praticidade acessando todas as plataformas da Sankhya com apenas um login.

Mais autonomia e flexibilidade

O Sankhya Om é totalmente integrado ao Sankhya Place - ambiente colaborativo que otimiza a experiência da equipe com a plataforma. Para dar mais autonomia, ele reúne em um só lugar todas as informações, aplicativos, pacotes e conteúdos disponíveis para download de forma rápida e simples. Tudo plug and play.

Integração a empresa com o mundo

Com acesso aos principais indicadores da FGV-IBRE e demais bases externas do interesse de cada negócio, o usuário passa a ter informações mais poderosas, com análises comparativas para otimizar suas compras, melhorar processos internos e se preparar melhor para o futuro.

Entre em contato com nossos consultores e receba uma apresentação do Sankhya Om.

Como saber se eu preciso de uma plataforma EIP?

É provável que hoje a sua empresa utilize um ERP e que ainda precise a todo momento adaptar o seu negócio à solução de gestão que você contratou. Mas, se você está em uma empresa em processo de transformação e quer começar a ter autonomia nas atividades de rotina e gestão, o EIP pode te ajudar.

Flexibilidade

É possível ter total flexibilidade e facilidade para conectar sua solução com qualquer outra do mercado, como serviços especialistas (ou microsserviços).

Autonomia

O EIP permite autonomia a partir de um ambiente construído em linguagem totalmente colaborativa, em que cada pessoa pode criar as suas soluções e disponibilizá-las em uma loja ou em um ambiente colaborativo.

Inteligência

Tenha mais inteligência na gestão de negócios, integrando toda a realidade da atual era digital à solução EIP, como análises preditivas, blockchain, sistemas integrados, bots de atendimento, Machine Learning, Big Data, IoT, plataformas de EAD, microsserviços especialistas, fintechs, plataformas de colaboração e mobilidade e várias outras.

Como adquirir O EIP Sankhya

O Sankhya Om é a primeira plataforma no mundo baseada neste novo conceito. Ele integra o mercado e as últimas tendências tecnológicas com o negócio. Para adquirir a plataforma, entre em contato e encontre a melhor solução para a sua empresa.

Mais de 14.000 empresas já utilizam o ERP Sankhya para otimizar a gestão de seus negócios. +14.000

Confira os depoimentos de empresas que optaram pela solução certa para transformar a gestão das suas empresas.

Confira todos os cases
Depoimento
A Sankhya foi a vencedora e a escolhida por realmente se adaptar ao nosso portfólio de trabalho operacional, de gestão de necessidade e de gestão do negócio.

Murilo Fernandes

CEO da Social distribuidora

Depoimento
Graças à parceria com a Sankhya, a Biologística conseguiu conhecer melhor seus indicadores e seus processos internos.

Euler Gonçalves

Especialista em integração e desenvolvimento

A história do EIP

A forma como as empresas realizam gestão dos negócios está ficando desatualizada, desde o controle das vendas até o recrutamento e o treinamento de mão de obra. Isso porque os processos que compõem uma empresa, das metodologias de produção às rotinas de trabalho, mudaram e continuam mudando.

A era digital, que começou timidamente no século 20, ainda está em curso e deve impactar o universo das companhias, independente do segmento, do tamanho e do endereço, por um longo período de tempo.

O ERP que conhecemos (Enterprise Resource Planning), como seu próprio nome diz (Planejamento de Recursos Empresariais), ao ser integrado às novas evoluções tecnológicas, como Big Data, Market Data, Internet das Coisas, eCommerce e várias outras, já alcançou outro patamar de entrega, tornando seu nome obsoleto para o que vai oferecer nos próximos anos.

Foi aí que surgiu o conceito EIP, que integra toda a realidade da era digital aos conceitos de gestão empresarial e é capaz de unir as empresas com o mercado, e não apenas os setores corporativos, trazendo para os gestores informações de diferentes dispositivos, áreas, processos e bases de conhecimento disponível, para ajudar nas tomadas de decisão.

Além disso, ao aplicar plataformas de EAD, colaboração e interação, o EIP permite compartilhar o conhecimento, compreender o perfil comportamental dos usuários do sistema e construir metodologias de trabalho aderentes às demandas de cada função ou cargo, de maneira inteligente.

Em outras palavras, o EIP traz outra revolução, guiada pela inovação tecnológica e uso racional dos recursos disponíveis (de insumos de produção aos colaboradores e fornecedores), tal como aconteceu no passado, para adequar as melhores práticas de controle e administração corporativa aos novos tempos. Uma nova era se abre diante das empresas, que precisam escolher se ficarão no passado ou darão um salto em direção ao futuro.

A história do ERP está totalmente vinculada com a criação do EIP. Sua ideia fundamental começa no início do século XX, mas a tentativa de criar métricas e metodologias para ajudar na gestão dos estoques e das produções das indústrias do século passado já existe há mais de 100 anos.

Veja a linha do tempo abaixo:

Surgimento do MRP

Depois do surgimento dos computadores, tornou-se possível sistematizar a gestão da produção de modo que as indústrias desenvolvessem métodos para racionalizar a cadeia de suprimentos.

No início dos anos 1970, consolidou-se o conceito de MRP, Material Requirement Planning, ou seja, o Planejamento de Requisição de Materiais. Esse era um método para fazer o encadeamento de compras de matérias-primas para otimizar a produção.

Assim, os gestores faziam o planejamento de compras. Desse modo, todo o fluxo de materiais era pensado e praticado para fazer frente às demandas do mercado.

O MRP evolui para o MRP II

À medida que os gestores obtinham resultados com a gestão dos materiais, uma nova fronteira de conhecimento se abria: o planejamento de recursos para além dos materiais.

Em 1980, passa a ser necessário incluir nos sistemas MRP a capacidade de planejar o uso das máquinas, administrar a capacidade produtiva, controlar o tempo de trabalho das equipes, gerenciar a manutenção dos equipamentos e, sobretudo, calcular o melhor sequenciamento de produção para produzir o máximo de produtos com o menor custo possível.

O sistema já não cuidava apenas de planejar os materiais, mas também da manufatura como um todo. Os sistemas MRP passaram a ser o Manufacturing Resources Planning (Planejamento de Recursos da Manufatura) e a sigla passou a ser conhecida como MRP II, para diferenciar-se do antigo conceito.

O ERP se espalha por toda a empresa

Com a popularização dos microcomputadores e a aplicação cada vez maior dos conceitos de planejamento e controle, em 1990, tornou-se cada vez mais evidente a necessidade de expandir os conceitos do MRP II para todas as áreas da empresa.

Dessa maneira, as mesmas práticas de racionalização e automatização foram levadas para os processos financeiros, a administração de vendas, a logística, o sistema de gestão de pessoas, as escriturações fiscais, as obrigações contábeis, o controle orçamentário e todos os demais processos da empresa.

Por essa razão, o conceito evoluiu para o Planejamento de Recursos Empresariais, ERP.

O ERP no século XXI

O impulso definitivo para a adoção do ERP por praticamente todas as empresas com algum grau de complexidade veio com a massificação da internet e a eclosão do fenômeno do governo eletrônico. A esmagadora maioria das transações das empresas hoje é feita por meio eletrônico: desde a emissão de notas fiscais e as movimentações bancárias até a entrega de obrigações fiscais ao governo e demonstrações contábeis aos investidores, passando pelo relacionamento com fornecedores, clientes e comunidade.

É impossível para praticamente qualquer empresa não contar, hoje em dia, com os recursos de um software de ERP que auxilie na gestão dos negócios.

Por isso, as inovações do século XXI têm modificado o modo como as empresas experimentam as funcionalidades do ERP.

O EIP - Plataforma de Inteligência Empresarial

Anunciado em 2019 pela Sankhya, o EIP foi criado a partir da necessidade de adequar o conceito ERP, já usado há vários anos, às novas transformações tecnológicas.

Hoje, as melhores empresas de ERP oferecem soluções que vão além do que a idealização do conceito antigo entrega. É um novo patamar de solução que exige uma nova forma de pensar, agir e processar informações, aplicando mais Inteligência Artificial, colaboração e conectividade aos negócios. Para isso, o EIP passa a utilizar toda evolução tecnológica disponível como, por exemplo: Inteligência Artificial, Machine Learning, Internet das Coisas, banco de dados da empresa (ERP), Big Data e qualquer base de conhecimento disponível, plataformas de EAD, microsserviços especialistas, fintechs, plataformas de colaboração e mobilidade.

O EIP veio para transformar de vez o modo como os gestores se relacionam com seus clientes, com as novas tecnologias e com os modelos de negócios disruptivos da era digital.

Fábio Túlio
Fábio Túlio Diretor de Inovação da Sankhya Gestão de Negócios

As novas tecnologias transcenderam o que o ERP (Planejamento de Recursos Empresariais) oferece. Hoje, a nossa solução está totalmente voltada para uma Plataforma de Inteligência, o que exige toda uma mudança não só da gestão, como na forma de pensar negócios.

Felipe Calixto
Felipe Calixto CEO da Sankhya Gestão de Negócios

Converse com um consultor Sankhya e saiba qual a melhor solução para o seu negócio:

Fale com um consultor