Pular para conteúdo

Como criar um MVP: passo a passo

Você sabe como criar um MVP (Produto Mínimo Viável) do zero? Depois desse artigo, você não terá mais dúvidas sobre...

como criar um mvp

Você sabe como criar um MVP (Produto Mínimo Viável) do zero?

Depois desse artigo, você não terá mais dúvidas sobre o MVP e estará pronto(a) para testar o método no seu negócio.

Está sem tempo para ler? Ouça este conteúdo no player abaixo:

Afinal, o conceito que surgiu em meio à ascensão das startups já está sendo utilizado por empresas que desejam inovar a criação de produtos.

Isso porque o MVP permite que você teste a aceitação de um produto antes mesmo de lançar sua versão final no mercado.

Melhor ainda: com o MVP, você constrói o produto com base nos feedbacks dos próprios clientes, aumentando – e muito – as chances de sucesso.

Quer entender melhor como isso é possível? São apenas cinco tópicos:

  • O que é MVP
  • Como criar um MVP
  • Benefícios 
  • Como usar MVP e Scrum
  • Vale a pena?

Continue a leitura e comece hoje mesmo a desenvolver produtos com mais agilidade.

O que é MVP

MVP significa Produto Mínimo Viável (do inglês Minimum Viable Product), e indica a versão mais básica de um produto que pode ser lançada com o menor esforço possível.

O conceito de MVP foi introduzido por Eric Ries em seu famoso livro A Startup Enxuta (Leya, 2012), como uma estratégia para testar as hipóteses de negócio e aprimorar soluções.

Assim, o MVP é uma versão com funcionalidades limitadas que geralmente é oferecida a um público específico de formadores de opinião e especialistas.

A partir do feedback recebido, a empresa valida os recursos do produto e vai construindo sua versão final de acordo com as necessidades do cliente.

Esse método é fundamental para empresas que visam o crescimento rápido e querem inovar o mercado, pois a solução é criada em um processo de aprendizado e evolução contínua.

Não à toa, as startups são pioneiras na adoção do MVP, mas todas as empresas podem se beneficiar do conceito para melhorar seu desenvolvimento de produtos.

Como criar um Produto Mínimo Viável

Para criar um MVP de sucesso, é preciso tomar alguns cuidados e se inspirar nas boas práticas das startups.

Confira nosso guia prático e acerte na estratégia:

1. Tenha uma ideia inovadora

Para utilizar o MVP, você precisa de uma ideia criativa para solucionar algum problema existente ou lacuna do mercado.

Nesse estágio inicial, podem surgir ideias mirabolantes e repletas de detalhes, mas você deve manter o foco nas necessidades dos clientes.

Para isso, é preciso lançar mão da tradicional pesquisa e descobrir tudo sobre o mercado-alvo, aumentando suas chances de sucesso.

2. Defina as hipóteses e valor do produto

Todo MVP parte de uma hipótese que precisa ser confirmada, e para isso você deve reunir a equipe e definir qual valor será entregue ao cliente.

Qual problema o produto soluciona? Quais os benefícios de utilizar o produto? Por que alguém compraria o produto?

As respostas para essas questões fundamentais são as hipóteses de negócio, que só podem ser validadas por meio da experimentação.

3. Encontre as funcionalidades essenciais

Com o produto e público-alvo definido, é hora de listar as principais funcionalidades do produto.

Nesse momento, todos os excessos devem ser enxugados para chegar à essência mais elementar do produto, que permita a experiência e avaliação do usuário.

Assim, o MVP deve ser construído sobre o conjunto mínimo de funcionalidades necessário para atender aos objetivos comerciais.

4. Defina os indicadores de desempenho

Antes de lançar o MVP, é preciso determinar quais indicadores serão utilizados para medir o sucesso dos testes.

Essas métricas dependem do produto, serviço ou software oferecido, e devem demonstrar claramente a aceitação ou rejeição dos usuários.  

5. Dê início ao ciclo de feedback

Com o MVP pronto, você já pode dar início ao ciclo de construir-medir-aprender, que permitirá a criação de um produto ideal para as necessidades dos clientes.

Na hora do lançamento, é importante não expandir o grupo de testes em excesso, priorizando clientes mais qualificados.

6. Continue os testes até chegar à versão final

O ciclo de feedback deve ser repetido até que o produto chegue à sua versão final, envolvendo todas as correções necessárias.

Durante esse processo, pode ocorrer a pivotagem, que é a mudança brusca na direção do produto quando o mesmo não apresenta o resultado esperado.

No fim das contas, o que importa é alcançar o modelo de solução ideal para os clientes, independentemente dos ajustes ao longo do caminho.

Benefícios do MVP

O MVP apresenta inúmeros benefícios para a criação de produtos e serviços inovadores, seja qual for o seu negócio.

Confira algumas das principais vantagens do método:

Ganho de tempo e dinheiro

Um dos principais objetivos do MVP é diminuir o desperdício de tempo e dinheiro que ocorre no processo tradicional de desenvolvimento de produtos.

Com o uso do método, a equipe concentra seus esforços no que realmente interessa, sem o risco de perder energia e recursos com funcionalidades inúteis.

Foco no cliente

O MVP é a forma mais garantida de focar 100% nas necessidades do cliente, pois a construção do produto é orientada pelos próprios consumidores.

Pesquisas de opinião podem ter um efeito parecido, mas não chegam perto da efetividade do Produto Mínimo Viável e seu dinamismo.

Rapidez no lançamento

Um dos critérios essenciais para ter sucesso em um mercado competitivo é sair na frente da concorrência e lançar rapidamente os novos produtos.

Com o MVP, o produto chega muito mais rápido ao mercado e o público é conquistado aos poucos, com a vantagem de acertar em cheio nos desejos do consumidor.

Como usar MVP e Scrum

Enquanto o MVP nasceu junto com as startups, o Scrum é uma metodologia ágil que surgiu na área de desenvolvimento de software.

O chamado Manifesto Ágil revolucionou a maneira de desenvolver sistemas e se espalhou para todas as áreas de negócios, pois traz métodos muito mais rápidos e eficientes para criar novas soluções.

O Scrum é um desses métodos, que consiste em uma série de rituais para desenvolver produtos em diversos ciclos de entregas e avanços.

Ao invés de desenvolver o produto de forma linear, como no método tradicional, o Scrum divide o processo em várias entregas incrementais, e os responsáveis vão ajustando a solução até atingir o resultado final.

Logo, o Scrum se ajusta perfeitamente ao ciclo de feedback do MVP, e os dois juntos potencializam ainda mais a criação de produtos de sucesso.

Vale a pena usar o conceito do Produto Mínimo Viável?

Se você está se perguntando se vale a pena usar o conceito do Produto Mínimo Viável, a resposta vai depender do seu negócio.

Não adianta tentar lançar um MVP se o seu produto não entrega o valor necessário com as funcionalidades reduzidas, por exemplo.

Você também precisa considerar outros riscos óbvios do MVP, como as questões legais de patentes, oportunismo de concorrentes e imperfeições do protótipo.

Para que o MVP funcione, você precisa definir claramente a linha evolutiva do produto e escolher o grupo de testes com cuidado.

Se você tiver sucesso em coletar os feedbacks e ajustar o produto ao gosto dos clientes, com certeza elegerá o MVP como sua estratégia preferida.

Afinal, nada melhor do que ouvir dos próprios clientes o que eles querem, e entregar o produto que eles sempre desejaram. 

 

 

Sobre o autor
Redator Sankhya

Olá! Este post foi escrito por nosso redator oficial Sankhya. Deixe seu comentário abaixo sobre o que você achou deste texto :)

Conheça o ERP Sankhya na prática

Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.