Pular para conteúdo

Como a diversidade pode contribuir com o seu negócio?

Equipes heterogêneas são aquelas formadas por profissionais de diferentes perfis, que trabalham juntos para apresentar soluções criativas e inovadoras para...

Equipes heterogêneas são aquelas formadas por profissionais de diferentes perfis, que trabalham juntos para apresentar soluções criativas e inovadoras para as empresas. São formadas por pessoas diferentes em idade, escolaridade, gênero, etnia, origem e mais uma série de características. A diversidade é vista como algo natural, que contribui não apenas com o atingimento dos objetivos estratégicos, mas possibilita à empresa ir muito além do planejado, criar soluções disruptivas e que tenham um impacto positivo na sociedade.

Nas empresas antenadas, o ambiente empresarial vem se tornando espaço para a convivência de profissionais cada vez mais heterogêneos. Diversidade não é apenas mais uma tendência ou modismo do mundo corporativo. Basta andar pela sua fábrica, loja ou escritório e observar. Provavelmente você encontrará pessoas muito diferentes: seja em idade, gênero, orientação sexual, etnia, origem, cultura e até mesmo nacionalidades.

Assim sendo, em tempos de economia do conhecimento, a capacidade de pensar e resolver problemas de maneira criativa passou a ser um dos denominadores comuns que qualquer empreendedor busca, não importa em qual tribo ele tenha que recrutar pessoas com essas competências.

Conhecimento técnico é importante, mas deixou de ser o principal fator que contribui para o sucesso de um bom profissional. Por conseguinte as empresas querem líderes que saibam extrair o melhor de cada um e também colaboradores que saibam lidar com pessoas com pensamentos diferentes.

 

Três Gerações

Em breve, a maior parte das empresas vai encontrar entre seus colaboradores pessoas de três faixas etárias distintas. Sua maneira de ver o mundo e de produzir é marcada por características comuns e por muitas diferenças. Consequentemente o trabalho ganha um novo sentido. 

GERAÇÃOXYZ
Nascimento1965 a 19831984 a 19961997 a 2002
FormaçãoCurso superior completo / pós graduaçãoCurso superior completo ou em andamentoEnsino médio completo ou em curso. Início do curso superior.
Presença no mercado2 décadasCerca de uma década ou menosAlguns acabam de ingressar no mercado de trabalho
CaracterísticasGeração intermediária, nascida entre baby boomers e millenials. Já conquistaram posições bem sucedidas.Influenciaram a maneira de pensar o futuro do ambiente de trabalho. Transformaram velhos modelos de negócios, como no setor de transporte e hospedagem (Uber e AirBnb).Cresceram em um mundo em transformação e por natureza são multi-telas. Temem pelo futuro do planeta, valorizam a educação, pensam em suas futuras carreiras e querem fazer do mundo um lugar melhor.
Era digitalForam crianças e adolescentes no mundo analógico e viram o digital nascer e ser integrado à vida cotidiana.Cresceram com um elevado nível de acesso à tecnologia.Nativos digitais. A tecnologia é parte do seu jeito de viver.

Tudo junto e misturado

De hoje a poucos anos, essas três gerações estarão juntas na maioria das empresas, buscando soluções para os mais variados problemas. Entretanto a mistura pode ser excelente ou se tornar um desastre, a depender de como gestores, empreendedores e profissionais de Recursos Humanos vão lidar com a diversidade, que inclui novas maneiras de pensar e ver o mundo. Qual será o denominador comum dessas equipes marcadas pela heterogeneidade?

Apresentamos a seguir alguns pontos para reflexão:

1. Liberdade com responsabilidade:

Entre 30% e 50% dos quadros das empresas de tecnologia são formados por jovens entre 20 e 30 anos. Por conseguinte, buscam trabalhar de forma mais livre, sem horários ou endereços fixos. Gostam de organizar seu próprio trabalho e utilizam a tecnologia para estar em contato e demonstrar resultados.

2. Ressignificar conceitos:

Profissionais da geração X, que estão no mercado há mais tempo, começam a absorver uma série de tendências criadas pelas novas gerações. As metodologias ágeis são um exemplo disso. Elas passaram a ser amplamente adotadas e consistem em Identificar soluções para equações complexas de forma mais rápida e colaborativa.

3. Praticar a empatia:

Olhar a realidade sob o foco do outro passa a ser uma competência desejada pelas empresas. Isso se aplica tanto à diferença na maneira de trabalhar que existe entre as gerações, quanto na relação com os clientes e fornecedores. A realidade pode ser analisada sob diferentes ângulos e pontos de vista. A diversidade é muito bem vinda nesse cenário.

4. Transformação digital:

Para a geração Z, que começa a ingressar no mercado de trabalho, tudo passa pelos recursos tecnológicos. O uso de equipamentos e aplicativos favorece a mobilidade e o trabalho pode ser feito a qualquer hora, de qualquer lugar. Desse modo derruba algumas fronteiras e tende a estimular a produtividade e redução de custos com a prática cada vez mais frequente do home office.

6. Líder coach:

Mais que distribuir tarefas e acompanhar entregas e indicadores, o novo gestor tem o papel de inspirar e engajar as pessoas, fazendo as perguntas certas e não dando as respostas. Com isso, esperam levar as equipes a darem o melhor de si. O líder coach é aquele que sabe ouvir, orientar e conduzir os colaboradores rumo aos objetivos estratégicos, por meio de perguntas poderosas e da proposta de desafios estimulantes e contínuos.

7. RH Analítico:

A ciência de dados pode ser usada a favor das práticas de recrutamento, seleção, motivação e engajamento dos colaboradores. O profissional de Recursos Humanos precisa entender do negócio, identificar de maneira assertiva qual a melhor abordagem para seus processos internos e para o sucesso da organização. Dessa forma, ele tomará mais decisões estratégicas que podem alavancar os melhores resultados.

8. Significado do trabalho:

Profissionais das novas gerações buscam mais que um emprego. Em função disso querem trabalhar em empresas que possuem um propósito claro, preferencialmente voltado para a comunidade. Empresas com uma cultura organizacional forte, que se traduz na prática, vão atrair talentos com mais facilidade.

9. Colaboração:

Um dos traços marcantes nas novas gerações é a colaboração. Assim, o relacionamento interpessoal ganha peso nesse contexto, em que as pessoas trabalham e se relacionam, buscando os melhores resultados. Nas empresas do futuro, o caminho é o de menos hierarquia e mais co-construção.

10. Diversidade sempre:

As novas gerações estão mais abertas às diferenças, sendo assim valorizam ambientes organizacionais que respeitam e incentivam esse tipo de atitude na hora de escolherem um emprego.

 

Pegando a onda da mudança (antes que ela pegue você e sua empresa!)

Até pouco tempo atrás, as mudanças eram previstas. Hoje elas chegam e transformam tudo, muitas vezes sem mandar recado algum.

Mudam empresas, cidades, modos de produzir e de se relacionar. E o que funcionou até agora não necessariamente será abandonado, mas provavelmente em breve deverá adaptar-se a uma nova linguagem e maneira de pensar.

O segredo está na capacidade de colaborar e na construção de caminhos coletivos. Novas estradas dos tempos modernos, em que o ser humano se integra à tecnologia e tudo se transforma. Em casa, no trabalho, na escola e na vida de cada um.

 

Sobre o autor
Mariana Gonçalves

Conheça o ERP Sankhya na prática

Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.