O que é gestão da inovação e 10 dicas para implementar na sua empresa

A Internet das Coisas (IOT) e a Inteligência Artificial (IA) já são realidade nos dias atuais e auxiliam na sustentabilidade...

Gestão da inovação

A Internet das Coisas (IOT) e a Inteligência Artificial (IA) já são realidade nos dias atuais e auxiliam na sustentabilidade de um negócio. Portanto, é preciso que CEOs e gestores conheçam e apliquem conceitos como cultura da inovação e gestão da inovação nos negócios. 

Esses conceitos reforçam a importância de uma gestão administrativa voltada para a busca de soluções, aberta para novas ideias e pronta para mudanças. 

É por meio da gestão da inovação que uma empresa se adapta rapidamente a estímulos e crises externas e se destaca no segmento em que atua. Saiba agora o que é gestão da inovação e como implementá-la na sua empresa.

O que é gestão da inovação?

A gestão da inovação ou cultura de inovação é um método de administração que prioriza desenvolver e criar ideias e processos inovadores e usá-los como recursos de geração de valor

Por meio da cultura de inovação, são estabelecidos processos claros, bem definidos, práticos e sólidos que vão desde a concepção da ideia, passam pela validação e pelo desenvolvimento da inovação e, por fim, chegam à comercialização ou evolução dos processos internos, com mensuração de resultados.

Como é baseada na mensuração de resultados, a cultura de inovação pode auxiliar na identificação de pontos fortes e fracos e apontar a necessidade de novas estratégias e objetivos.

Quando aplicada a um negócio, a gestão da inovação permite que a empresa ganhe maior visibilidade e competitividade, uma vez que a gestão da inovação impacta positivamente na rotina de processos, facilitando as tarefas diárias e reduzindo esforços e custos.

Qual é a importância da gestão da inovação para a empresa?

Uma das principais vantagens em implantar a gestão da inovação é manter o negócio sempre vivo e atualizado com as práticas de mercado. A gestão da inovação proporciona a sustentabilidade a longo prazo e viabiliza  oportunidades. 

Na medida em que a cultura de inovação é implantada em uma empresa, todos os departamentos conversam em uma mesma linguagem e buscam juntos viabilizar as estratégias, o que torna a empresa mais sólida. 

A gestão da inovação ainda permite que os processos sejam automatizados. E que as máquinas façam as tarefas repetitivas e manuais, deixando os colaboradores livres para trabalhar em funções que exigem raciocínio e decisões  estratégicas.  

Como consequência da gestão da inovação podemos apontar a melhora no desempenho dos colaboradores, já que são melhor aproveitados e valorizados.

Normalmente, quando se fala de inovação, pensamos em grandes ideias disruptivas e transformadoras. E por mais que esse conceito também esteja certo, é importante destacar que essas ideias precisam gerar valor. Além disso, pequenas mudanças incrementais podem também ser inovadoras, se trouxerem soluções diferentes para problemas já conhecidos. 

Outro ponto que também não é muito falado é que, para ter uma ideia boa, que traga resultados, é preciso testar vários caminhos não tão bons assim.

Para uma empresa ter uma cultura de inovação, é importante que, primeiro, a equipe esteja alinhada com a estratégia e com os objetivos do negócio. Assim, é possível ter o contexto certo para sugerir mudanças. As lideranças devem estar preparadas e abertas para receberem essas sugestões e criar espaços para que a equipe possa colocá-las em prática.

Para isso, não são necessários grandes programas de inovação, com premiações agressivas e altos investimentos. A sugestão é que os líderes:

  • Tenham ritos de discussão com suas equipes a respeito da estratégia da empresa e da área;
  • Incentivem uma cultura de colaboração;
  • Reconheçam e deem espaço para os colaboradores proativos sugerirem e colocarem em prática novas ideias;
  • Utilizem os erros como fontes de aprendizado, e não de punição.

Quem deve ser o gestor da inovação?

Por falar em colaboradores, é importante reforçar a necessidade de um gestor de inovação dentro da empresa. É ele quem será o maior responsável por implementar processos e métodos para facilitar a inovação no negócio

A profissão “gestor da inovação” é relativamente nova e surgiu junto com as necessidades  de transformação digital e de disrupção de mercados. O gestor da inovação é quem reúne as ideias e cria os processos para executá-las

Ou seja, o gestor da inovação analisa propostas, escolhe as melhores e viabiliza processos e métodos para colocá-las em prática, impulsionando a cultura de inovação dentro da empresa. 

Sendo assim, o gestor da inovação deve ser comunicativo, já que transitará em diversos setores da empresa. Deve também ter visão estratégica e saber negociar para redirecionar processos com rapidez, além de garantir também a avaliação e a interpretação de dados para facilitar a conquista das  metas.

Os elementos-chave para uma gerência de inovação são: conhecimento do mercado no qual a empresa está inserida, um background com experiências alinhadas às necessidades da empresa e uma inquietação constante em relação ao status quo que a leve estar sempre atenta a novidades e outros assuntos.

Em toda contratação, é importante calibrar também o alinhamento de valores do profissional com os do negócio e ter clareza de quais são as expectativas desse papel. Incubar e dar vida a novas ideias ou produtos? Criar uma cultura de inovação de forma cross em toda empresa?

É importante lembrar que o gestor da inovação não implanta sozinho a cultura de inovação. São necessários alguns passos para que a empresa tenha uma boa gestão da inovação. Separamos algumas dicas para você!

10 dicas de como implementar uma cultura de inovação na empresa

Empresas que optam por aplicar o modelo de gestão da inovação podem criar um departamento específico que trate do assunto e estabelecer responsáveis pelo departamento ou conduzir como uma iniciativa que abranja todas as áreas, mesmo assim é importante ter claro quem são as figuras responsáveis por isso e que elas estejam devidamente empoderadas para essa atuação. Além disso, é preciso seguir algumas dicas para implantar com sucesso uma cultura de inovação. São elas:

1. Priorize a inovação como um valor  

Para se destacar no mercado, é importante ter a gestão da inovação como um dos pilares da empresa. É necessário que todos saibam que a cultura de inovação é um valor inegociável e prioritário. Assim, todos os departamentos, clientes e mercado entendem como a gestão da inovação é importante para o seu negócio.

2. Crie espaço para a gestão da inovação 

Conforme dito anteriormente, ter um departamento que seja responsável pela cultura de inovação com colaboradores e gestores da inovação facilita ainda mais os processos e o entendimento da importância que a empresa dá para a gestão da inovação. Se isso ainda não for possível, se certifique de que seus líderes e colaboradores chaves estejam envolvidos em projetos inovadores e dediquem espaço na agenda para isso. 

3. Incentive a cultura de inovação

Além de criar um departamento específico, é necessário incentivar todos os outros departamentos a pensarem e agirem de forma inovadora. Não despreze ideias, pelo contrário, estabeleça oportunidades para que elas surjam. Faça palestras, cursos, workshops que fomentem a cultura de inovação. Se as ideias não forem boas, ajude a melhorá-las ou explique os motivos pelos quais não são viáveis. Nunca desestimule novas ideias.

4. Invista na gestão da inovação 

Além de incentivar com cursos e palestras, crie processos de bonificação e premiação de boas ideias. Lembre-se de que a cultura de inovação requer um investimento de médio a longo prazo e depende de pessoas para funcionar.

5. Veja a gestão da inovação como objetivo e crie metas

Use a cultura de inovação como prática para alinhar recursos disponíveis — humanos, materiais, tecnológicos e financeiros. É importante criar metas e submetas voltadas para o desenvolvimento da gestão da inovação em diversas frentes.

6. Crie ambientes propícios para inovação 

Todos os ambientes da empresa devem ser propícios para a cultura de inovação. Isso não quer dizer que são necessárias salas com puffs, sinuca, ou jogos. Essas estratégias podem colaborar, porém, se todos os ambientes forem convidativos e aconchegantes, não serão necessários investimentos nesse sentido. Deixe o colaborador confortável e ele dirá o que ele precisa.

7. Faça parcerias inovadoras

Sair da zona de conforto ajuda na cultura de inovação. Fechar parcerias com empresas que também têm como valor principal a inovação pode ajudar a consolidar e fortalecer a imagem da marca. As parcerias podem ser com empresas de outros segmentos ou até similares. O conceito de “collabs” entre marcas vem crescendo e pode ser a estratégia certa para movimentar negócios parceiros.

8. Saiba vender ideias e metrificar resultados 

Tenha uma comunicação direta, eficiente e que proporcione novas vendas. Treine colaboradores para o aumento de vendas. E, diante das vendas, determine indicadores de desempenho. Entenda como as ideias e novos produtos estão sendo recebidos pelo público.

9. Use estratégias e métodos para implantar cultura de inovação 

A estratégia do MVP ou Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável auxilia na criação de uma versão de teste de um novo produto antes de lançá-lo oficialmente no mercado. É por meio do MVP que uma empresa testa produtos e serviços de forma barata e rápida. 

Já a estratégia de Design Thinking,  tem como foco melhorar um produto específico levando em consideração o ponto de vista do cliente. 

O Modelo de Negócio Canvas divide as etapas de um processo, apontando quais são as propostas, o público-alvo, os canais, os recursos, entre outros itens que possam auxiliar na criação de uma solução, facilitando assim a visualização e a análise dessas informações.

10. Utilize a tecnologia como aliada na gestão da inovação e reveja estratégias 

Implante um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) que automatiza e agiliza processos. Por meio da ferramenta, identifique os pontos fortes e fracos do negócio.

O ERP ajuda a administrar e monitorar as atividades voltadas à inovação. Otimiza e analisa o uso dos recursos financeiros, tecnológicos e humanos.

Por meio do ERP, é possível utilizar KPIs (indicadores de desempenho) para metrificar todos os resultados e oferecer melhorias, alterando estratégias.

A inovação deve gerar resultados. Então, um ERP é importante, primeiro, para que a empresa saiba como está sua operação, seus níveis atuais de performance e a saúde dos seus indicadores-chave. Com isso, vai conseguir entender os principais temas onde precisa inovar.

Com o módulo de gestão estratégica da Sankhya, fica mais fácil o desdobramento e a comunicação desses objetivos para toda a empresa, alinhando toda a sua equipe na direção desejada.

A flexibilidade do ERP Sankhya também permite que novas ideias de melhorias em processos sejam colocadas em prática de maneira fácil e ainda permite mensurar os impactos delas nos indicadores.

A gestão dos projetos de inovação também é fundamental para uma boa organização de pessoas e orçamentária e até mesmo para usufruir de benefícios fiscais, como a Lei do Bem. Nesse sentido, a gestão financeira e de projetos que o ERP Sankhya permite também são chaves para o fortalecimento dessas práticas.

DICA BÔNUS: Atualize-se!

Se você chegou até aqui, já entendeu a importância da gestão da inovação. Sabe que a cultura de inovação pode ser um grande passo rumo ao sucesso do negócio. E entende que estar sempre atualizado é pré-requisito básico para se manter vivo em um cenário de mudanças constantes.

Para inovar sempre, esteja munido de material de qualidade!

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos no seu e-mail. 

Sobre o autor
Lívia Boaventura

Products Operations Manager na Sankhya. Sua missão pessoal é tirar as pessoas de sua zona de conforto, apoiando o time a desdobrar e dar vida à estratégia de produtos da Sankhya. Antes disso, atuou como Gerente de Processos, à frente dos times de design de processos, analytics, estratégia e sustentação da empresa. É formada em Ciências Econômicas pela UFU e tem MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios pela FGV, e em Transformação Digital, pela PUC-RS.

Quer receber conteúdos sobre gestão em seu email?

Assine a newsletter para receber nossas novidades.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade
    plugins premium WordPress
    Conheça o ERP Sankhya na prática

    Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.