Pular para conteúdo

Como funciona o Big Data no ERP

Embora esse pareça ser um assunto do futuro ou exclusivo das grandes companhias do mercado, o Big Data no ERP...

Embora esse pareça ser um assunto do futuro ou exclusivo das grandes companhias do mercado, o Big Data no ERP é um assunto para você.

Eu sou Marco Salvo, conhecido por meu canal no youtube, Mestre do ERP, e escrevi este artigo para te mostrar qual a importância do Big Data no ERP

Apesar de Big Data parecer ser um assunto de grandes companhias, grandes tecnologias e que requer um investimento muito grande, essa não é a realidade.

O Big Data é assunto para todo mundo.

O que é Big Data na prática?

É claro que existe uma versão do Big Data que realmente é assunto para as grandes empresas mundiais de tecnologia, me lembro que uma vez eu fui para Rondonópolis e, naquela época, eu estava tomando um remédio – barato, simples – e quando cheguei na cidade eu vi que tinha esquecido o remédio.

Não havia comentado com ninguém a respeito deste ocorrido, porém assim que cheguei no aeroporto me dei conta deste esquecimento. Logo em seguida, no entanto, eu precisava me encontrar com um cliente e pedi um táxi.

Pedi ao taxista que parasse em uma drogaria, pois assim eu poderia comprar o meu remédio. Cheguei na farmácia, pedi o remédio e o comprei. Quando voltei para o táxi, no caminho para meu cliente, eu acessei a internet pelo meu celular.

Na hora que abri o Google, estava lá, “O remédio X mais barato em Rondonópolis”, e o Google estava me falando do remédio que eu tinha acabado de comprar. Mas como? Bem, isso ocorreu porque o microfone do meu Android ouviu o que eu estava falando na farmácia. 

Assim, ele reconheceu o que eu estava buscando e, instantaneamente, me informou onde eu poderia encontrar o remédio que eu precisava, com o melhor valor na região.

Veja que o Big Data não é aplicável para as pequenas e médias empresas, empresas comuns, nesse nível. Isso é um benefício que no momento é exclusivo de grandes negócios. 

Mas, existem muitas coisas que você pode fazer com o Big Data no seu ERP, porque o seu ERP tem muitas soluções que você precisa.

Os 5V’s do Big Data

O Big Data está associado a um conceito chamado 5V, as cinco coisas importantes do Big Data, que começam com a letra V.

As duas mais importantes são:

  • Volume
  • Velocidade

No entanto, os três outros V’s não ficam muito atrás:

  • Valor: o valor que aquilo traz, quanto aquela informação vale
  • Verídica: o quanto aquela informação é verdadeira
  • Variedade

Grande parte dessas coisas importantes no Big Data estão presentes no seu ERP, como o volume, velocidade, valor e veracidade.

A variedade, no entanto, é um pouco mais complicada, pois o ERP só tem os seus dados. Já a variedade está na internet como um todo, seja nos indicadores econômicos, nas pesquisas de mercado ou nas redes sociais. Está por todos os lugares e em um grande volume.

Essa variedade pode vir em formato de vídeo, imagem, texto e até mesmo programas de televisão. Captar essa quantidade de informações não é uma tarefa fácil, mas não é necessário capturar tudo para ter Big Data no seu ERP. 

Mesmo que você seja uma pequena ou média empresa, existem coisas que você pode fazer.

Exemplos de Big Data no dia a dia de uma empresa

Eu, por exemplo, conheço uma empresa, cliente nosso, que é uma empresa média, algumas lojas de Pet Shop em uma capital do nordeste. Eles começaram por lá com uma coisa muito simples, bem pequena: fazer o agendamento do banho dos bichos pelas redes sociais.

Ou seja, a pessoa entrava nas redes sociais da empresa e agendava um banho. Aos poucos, esse método foi sendo ajustado, o cliente entrava na rede social do negócio e o próprio robô daquela rede já consultava o ERP, via qual era o agendamento, e propunha um agendamento para a pessoa, para depois negociá-lo.

Isso se tornou uma característica de interação automática com os usuários, sem intervenção humana, e chegou um momento em que alguém lá naquela empresa teve uma ótima ideia: as informações relevantes que poderiam ser capturadas.

Quando uma pessoa entra com seu Instagram, Twitter ou Facebook para agendar um horário, aquele robô começava a perseguir essas redes, capturando palavras e verificando que, pelo conjunto de palavras que a pessoa colocava nas redes sociais, dava para saber quando o cliente ganhava, comprava ou adotava um bicho novo.

Assim, o sistema notificava alguém do marketing da empresa, avisando sobre a possibilidade daquele perfil da internet ter adquirido um novo animal. Nesse momento, o time da empresa encaminhava para a pessoa uma mensagem, oferecendo um banho grátis ou outro benefício para a pessoa ir até a loja.

Essa ação, que foi praticamente gratuita, é uma ação de Big Data. Nela, a empresa captou volume, variedade, valor, veracidade e, na internet, gerou mais de quatro mil novos clientes para a empresa em pouco mais de um ano, com um custo praticamente zero.

Essa inovação é muito simples de ser feita, então o Big Data é algo que você pode aplicar em seu ERP.

Temos um outro cliente que faz uma coisa ainda mais divertida, que depende menos dessa sacada. Toda vez que o cliente faz uma promoção, ele naturalmente calcula o custo daquela promoção, mas ele observou uma coisa ao fazer os analytics em seu sistema de ERP: às vezes, baixar o preço do produto A aumenta as vendas do produto C, uma informação completamente inusitada, que, intuitivamente, ninguém percebe.

Quando a empresa notou que havia uma certa curva entre uns produtos e outros, ele parametrizou a análise de dados para fazer esse tipo de correlação. O cliente considerou as promoções dos produtos que fez nos últimos dez anos e qual o impacto dessa ação na venda de outros produtos, compreendendo informações e dados inusitados para o funcionamento de sua empresa.

Assim, o cliente aprendeu que ao baixar o preço do produto A e atrair consumidores para sua empresa, seria possível aumentar o valor do produto B e C, que não tem nada a ver com o produto A, e mesmo assim são comprados.

O Big Data no ERP

Até hoje, muitas vezes quando eu vou participar de processos de troca de ERP, eu recebo aquelas RFP’s, documentos em que as empresas se propõem a conhecer o ERP que ela vai comprar, a empresa pergunta: qual é a periodicidade a qual eu tenho que fazer expurgos de dados? 

Isso porque existem sistemas de gestão que não aguentam mais de cinco anos de dados na base de dados. Tem muito ERP que começa a ficar lento se você tem mais de três, quatro ou cinco anos de movimentações documentadas na base de dados, gerando a necessidade de fazer expurgos de dados.

No entanto, é importante que você opte por um fornecedor que te permita armazenar volumes altos de dados, com um ERP que aguente tranquilamente essa quantidade de informações. Caso contrário, esse sistema pode estar ancorando você e sua empresa no século XX.

O que você achou do meu texto sobre Big Data no ERP? Me conte o que você pensa sobre esse assunto nos comentários abaixo.

Você também pode se inscrever em meu canal do Youtube clicando aqui e me seguir no LinkedIn para trocarmos informações!

 

Sobre o autor
Mestre do ERP

Com mais de 30 anos de experiência em ERP, Marco Antônio Salvo possui experiência na área de serviços, desenvolvimento e software. Atualmente atua na área de desenvolvimento de novos negócios e soluções na Sankhya Gestão de Negócios, e tem o maior canal sobre ERP do Brasil, o Mestre do ERP.

Conheça o ERP Sankhya na prática

Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.