Pular para conteúdo

Cross docking: o que é e quais são as vantagens de tê-lo na sua empresa?

O cross docking é o atual modelo logístico que otimiza todas as etapas de um abastecimento, diminuindo o tempo de...

cross docking

O cross docking é o atual modelo logístico que otimiza todas as etapas de um abastecimento, diminuindo o tempo de armazenamento de produtos em um ambiente, ou seja, privilegia uma entrega rápida e direta entre fábrica e cliente.

Empresas que passam por todo o processo de uma cadeia de abastecimento precisam acompanhar um mercado cada vez mais imediatista e exigente. Portanto, ter uma estratégia competitiva que englobe qualidade, otimização de tempo e produtividade é essencial.

Neste artigo, explicamos a fundo o que é o cross docking, os tipos de sistema que existem para distribuição, as vantagens desse processo logístico e como implementá-lo na sua empresa para se destacar no mercado com eficácia e qualidade.

O que é cross docking?

Independente de qual seja o item armazenado (matéria-prima ou mercadorias para entrega final), o cross docking é considerado o ápice de uma logística de abastecimento. Isso porque ele extingue todos os meios tradicionais de estocagem e apresenta um método reduzido de estoque ou até mesmo a eliminação dele.

Toda essa estratégia de cross docking muda também a forma de conduzir o transporte dessas mercadorias. Quando o consumidor final efetua a compra, o produto é enviado ao centro de distribuição e entregue ao cliente final de forma imediata.

Cross docking pode ser traduzido como “cruzando as docas”, referindo-se a uma maneira de as organizações garantirem aos seus clientes agilidade nas entregas e redução de gastos operacionais com espaço físico para estoque.

É uma estratégia que precisa ser muito bem definida e sincronizada, já que as operações que envolvem o centro de distribuição passam a ser o ponto chave para o sucesso e o destaque da empresa.

Em um mercado cada vez mais ágil e competitivo, a operação logística envolvendo o cross docking é uma solução econômica e rápida para a empresa, mas é preciso ter total atenção na qualidade tanto dos produtos quanto dos serviços para que o resultado final seja positivo.

Quais são os tipos de sistema de distribuição?

Dados levantados pela Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) mostram uma estimativa de que R$ 21,55 bilhões sejam perdidos em itens no varejo por não serem vendidos. Desse número, 40% são prejuízos causados por falhas na estimativa do estoque.

Mercadorias paradas são falhas graves de estratégia. Por isso a importância de usar o cross docking, tendo em vista que o produto só é solicitado ao fornecedor após a compra do cliente.

Existem alguns tipos de cross docking para que a empresa escolha o que melhor atende às necessidades organizacionais e estratégicas, visando a otimização e a eficiência dos processos. Conheça cada um eles:

Cross docking pré-distribuído

É um tipo de cross docking mais tradicional, em que o próprio fornecedor já prepara as mercadorias com a finalidade de entregar ao consumidor final. Esse processo é ágil, direto, evita acúmulos no estoque e não exige muita intervenção.

Cross docking consolidado

Nesse tipo de cross docking, as mercadorias são transferidas para uma área onde são avaliadas e adaptadas ao que foi exigido pelo cliente, como, por exemplo, quantidade específica dos produtos.

Cross docking híbrido

Esse é um tipo de cross docking complexo que exige uma estratégia logística muito eficiente para que não ocorram falhas ao longo do processo.

Aqui, as etapas acontecem da seguinte forma: as mercadorias são recebidas no armazém e separadas, uma parte é encaminhada diretamente ao consumidor final, enquanto a outra é colocada junto com itens que fazem parte de pedidos maiores.

Quais são as vantagens do cross docking?

O cross docking é uma excelente estratégia para empresas que buscam agilidade sem perder a qualidade, além de garantir mais satisfação dos clientes com prazos menores na entrega. 

Eliminar o uso de estoque de mercadorias é a grande vantagem de aderir a esse processo, mas listamos outros benefícios que também são relevantes.

Reduz gastos

Com a eliminação de um estoque, a empresa passa a diminuir seus gastos com espaço físico para armazenamento dos produtos e, consequentemente, reduz os custos com a manutenção desses locais.

Agiliza o processo

Com a ação de entregar as mercadorias diretamente ao consumidor final, a agilidade passa a ser uma grande vantagem em todo o processo. Usando apenas as etapas de separar e reenviar, a empresa faz a entrega ao cliente em um prazo mais curto.

Evita a falta ou o excesso de produtos

Ter relatórios precisos de mercadorias que estão em falta e em excesso deixa de ser uma preocupação com o cross docking. A gestão de estoque não é mais necessária, tendo em vista que os fornecedores enviam os itens de acordo com as demandas.

Melhora o capital de giro

As empresas investem muito na compra de mercadorias e, muitas vezes, isso causa desequilíbrio e prejuízos financeiros com itens parados. Dessa forma, ocorrem problemas no capital de giro que podem interferir nos negócios.

Com os pedidos sendo específicos e sem a necessidade de estoque, a quantidade de capital de giro para o fluxo de caixa é reduzida e a empresa evita prejuízos.

Quando e como implementar um cross docking? 

Para implementar o cross docking na empresa, é preciso montar uma estratégia para que todos os setores estejam interligados em um fluxo contínuo de informações e o processo de execução ocorra com agilidade e qualidade.

Por isso, é importante seguir alguns pontos ao decidir fazer essa implementação. Listamos a seguir:

1. Escolher bem os fornecedores

É muito importante ter fornecedores de confiança para que o cross docking tenha resultados positivos e com qualidade. Essa ligação é necessária para que o cliente final tenha a garantia de que o produto comprado chegará no prazo estipulado.

Em um supply chain, os fornecedores são de extrema importância, mas, ao eliminar o estoque desse processo, a presença constante e precisa deles passa a ser ainda mais relevante. Isso porque os produtos precisam estar à disposição e com garantia de envio dentro do prazo.

2. Treinar e manter uma boa comunicação com a equipe

Ter uma equipe treinada e preparada para o processo de cross docking é fundamental. O mercado e os clientes estão cada vez mais exigentes com qualidade e agilidade. Por isso, os colaboradores devem estar em sincronia com cada ação para que tudo ocorra no prazo certo e de forma dinâmica.

Além do treinamento, a estratégia envolve boa comunicação interna entre todos os setores, gestão de organização, padronização das atividades e definição de quais são os resultados esperados em cada etapa. Assim, é possível evitar falhas que possam atrapalhar o objetivo final.

3. Ter um bom centro de distribuição

Uma das etapas mais importantes da implementação de um cross docking é ter um centro de distribuição que permita um bom acompanhamento. Esse é o lugar estratégico onde os produtos chegam do fornecedor e saem para os clientes.

Por isso, é fundamental que seja um espaço físico bem estruturado e que ajude na otimização de tempo, na produtividade e na qualidade do trabalho.

Conclusão

Os processos de logística de distribuição em organizações que aderem ao cross docking precisam de tecnologias que atendam às suas necessidades, reduzindo custos, otimizando o tempo e aumentando a produtividade e a integração dos colaboradores. Assim, todas as ações podem ser executadas de forma eficiente e com entrega em prazo curto.

A Sankhya disponibiliza as melhores ferramentas tecnológicas para que a sua empresa desenvolva as estratégias certas para o fluxo de logística, tenha qualidade no trabalho e ganhe vantagem competitiva no mercado.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como esse? Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos em seu e-mail:

Sobre o autor
Redatora Sankhya

Conheça o ERP Sankhya na prática

Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.