Pular para conteúdo

O que é turnover e 4 dicas de como reter talentos

Veja pontos essenciais em relação ao turnover, as principais estratégias para controlar esse indicador, como calculá-lo, dicas para reter talentos...

turnover

Turnover é um indicador usado pela área de recursos humanos das empresas para mensurar a rotatividade de funcionários. Em outras palavras, é o índice de entradas e saídas de colaboradores da empresa em um determinado espaço de tempo. É uma das principais maneiras de medir a eficiência do recrutamento e da seleção.

Para ter um índice de turnover baixo, a empresa precisa adotar estratégias para reter talentos, como oferecer benefícios e plano de carreira para os colaboradores. Considerando que manter um profissional na empresa custa menos do que contratar outro, é fundamental acompanhar esse indicador juntamente com o impacto que ele causa nas finanças da instituição.

Sem tempo para ler este conteúdo? Você pode ouvi-lo no player abaixo:

Neste artigo, vamos abordar pontos essenciais em relação ao turnover, as principais estratégias para controlar esse indicador, como calculá-lo, dicas para reter talentos e como a rotatividade de funcionários impacta a sua empresa. Continue a leitura para saber mais.

Conheça os tipos de turnover

Uma alta rotatividade de colaboradores é sinal de que a empresa precisa analisar o que não está dando certo, rever suas ações para evitar um turnover elevado e procurar saber dos próprios funcionários as percepções sobre a instituição.

Os entrevistados de uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva e pelo pelo Grupo LTM avaliaram que ter reconhecimento da empresa é um ponto principal para a permanência nela: 87% acreditam que premiações dentro da organização é uma forma de engajar e reconhecer os profissionais pelo serviço prestado e 78% disseram que receber feedbacks ajudaria muito.

Existem alguns tipos comuns de turnover e é preciso que os gestores avaliem cada um de acordo com a realidade da empresa para entender as mudanças que precisam ser realizadas. Com a saída de colaboradores, além de ter o quadro de pessoal comprometido, a organização pode ter problemas financeiros, já que demissões geram altos custos para a empresa.

O turnover acontece de duas formas: pedido de demissão da pessoa ou a empresa desligando o funcionário. E entre essas duas situações existem alguns tipos que vamos citar a seguir.

Turnover disfuncional

Um dos tipos mais preocupantes é o turnover disfuncional, que ocorre quando um excelente funcionário, que tem um ótimo desempenho e que atende a todas as expectativas, pede para se desligar da empresa.

Nesse momento, a organização precisa avaliar quais são os erros nas ações, já que um desligamento desse nível é um alerta a certos pontos da gestão de desempenho, além de gerar impactos negativos na produtividade dos outros funcionários.

Turnover funcional

Quando o funcionário sente que não é mais eficiente para a empresa e não atende às expectativas, ele pede demissão. Nessa situação, ocorre o turnover funcional, que é um ponto positivo para a organização, já que o profissional não entrega os resultados desejados e os custos para demitir seriam mais altos devido às leis da CLT.

O turnover funcional permite que a empresa tenha a oportunidade de contratar um profissional que atenda às necessidades e que tenha afinidade com os valores da empresa sem precisar arcar com os custos de demitir o colaborador anterior.

Turnover voluntário

Quando o profissional pede demissão por ter recebido uma proposta melhor em outra empresa, ocorre o turnover voluntário. 

Na maioria das vezes, esse tipo de turnover não é benéfico para a organização, já que geralmente ocorre com funcionários de alto rendimento

Turnover involuntário

Quando a própria empresa decide demitir o colaborador, temos o chamado turnover involuntário

Entre os motivos do desligamento, estão: modificação nas equipes, melhora no clima organizacional e resultados que não se adequam mais às expectativas.

Nesse caso, a organização tem custos altos com as demissões devido às normas trabalhistas.

De que forma o turnover impacta a empresa?

Um alto índice de turnover pode causar muitos impactos prejudiciais na empresa. Os colaboradores passam a se sentir inseguros e ter uma baixa produtividade, o que é um ponto negativo para o sucesso da organização.

De acordo com levantamento realizado pela Feedz, em 2020, 71% dos profissionais que pediram demissão migraram para outras empresas com cargos e salários melhores, o que mostra que as pessoas estão cada dia mais buscando se profissionalizar e crescer no mercado. Com isso, desejam melhores remunerações.

Segundo a mesma pesquisa, de maio de 2020 a maio de 2021, 45,42% das organizações desligaram funcionários por não atender às expectativas e gerar um baixo desempenho. Por isso, se o índice de turnover está acima do normal, é necessário avaliar de que forma a empresa está estimulando seus funcionários e proporcionando uma boa experiência de trabalho.

Podemos dizer que os impactos do turnover que mais prejudicam a empresa são: custos com acertos trabalhistas, diminuição da produtividade dos funcionários e clima desfavorável da organização.

Como calcular o turnover da sua empresa?

Para que a empresa esteja sempre atenta à rotatividade de colaboradores, é preciso saber fazer o cálculo do turnover. Assim, é possível planejar ações estratégicas para manter o bom desenvolvimento da organização, além de evitar riscos financeiros. É importante fazer esse cálculo com frequência e acompanhá-lo.

Confira o passo a passo para fazer o cálculo e analisar o turnover da sua organização:

  1. Determinar qual vai ser o período analisado (mês, semestre, ano);
  2. Identificar o total de admissões (entradas, contratações de pessoas);
  3. Identificar o total de saídas (demissões – pedidos ou demitidos);
  4. Identificar o número total de funcionários na empresa.

A fórmula para calcular o turnover da empresa é a seguinte:

turnover = ([total de admissões + total de demissões] ÷ 2) ÷ número total de funcionários

Por exemplo, se uma empresa tem 50 funcionários e, durante o mês, fez 4 admissões e 3 demissões, o cálculo seria assim:

([4 + 3] ÷ 2) = 3,5

3,5 ÷ 50 = 0,07

Para ter o valor percentual, basta multiplicar o resultado por 100. Sendo assim, o índice de turnover desse exemplo seria de 7%.

Confira 4 dicas essenciais para reter talentos e evitar o turnover

Em um mercado de trabalho competitivo, as empresas precisam se destacar também na forma de gestão interna e se manter atentas à valorização de cada funcionário e a quais critérios estão usando na hora de contratar.

Leia também: O que são soft skills e como identificá-las?

É preciso apresentar ações estratégicas para reter talentos e evitar a rotatividade de funcionários, como benefícios corporativos e reconhecimento de habilidades do profissional.

De acordo com o Guia Salarial 2021, publicado pela consultoria Robert Half, 40% dos colaboradores afirmam que a possibilidade de crescer na organização é o critério principal para se manter nela e os benefícios que a empresa proporciona tem 20% de grande relevância. 

Por isso, é importante que a empresa crie um ambiente de trabalho que gere boas expectativas nos profissionais e que os motive diariamente. Mostrar preocupação com o bem-estar dos colaboradores e reconhecer o valor individual deles passa a ser, inclusive, um diferencial diante da concorrência.

Mas de que maneira a empresa pode motivar os colaboradores a permanecerem na empresa? Listamos algumas dicas importantes para reter talentos e evitar o alto índice de turnover.

1. Garanta o bem-estar dos profissionais

A rotina de uma empresa muitas vezes é acelerada e estressante, causando desânimo e baixa produtividade dos colaboradores. Por isso, é importante promover o bem-estar físico e mental no ambiente de trabalho.

Proporcionar um ambiente saudável é uma forma de fazer os funcionários se sentirem satisfeitos com o lugar em que trabalham. 

Algumas medidas que podem ajudar nessa questão são: atividades colaborativas, ginástica laboral e suporte psicológico.

2. Forneça um local de trabalho agradável

O ambiente de trabalho precisa ser leve e fazer com que os funcionários se sintam acolhidos e à vontade para interagirem uns com os outros. 

As pessoas passam a maior parte do dia trabalhando, por isso precisam se sentir felizes. Dessa forma, a empresa passa a ter profissionais produtivos e criativos.

Boas dicas para manter o ambiente agradável são: utilizar móveis ergonômicos, manter o local sempre limpo, ter uma iluminação adequada e criar canais de comunicação internos para manter os funcionários de diversas áreas interligados e informados sobre a empresa como um todo.

3. Ofereça um bom salário de acordo com o mercado

Muitos profissionais se mantêm nas empresas principalmente por causa dos salários que recebem. Salários que não são atrativos estão entre os motivos principais de pedidos de demissão e aumento de turnover.

Uma forma de manter bons profissionais na empresa é oferecendo salários que estão adequados aos valores de mercado

Outro ponto importante e que garante a satisfação dos colaboradores são os benefícios oferecidos pela organização. É necessário que a empresa tenha atrativos, como plano de saúde e vale-alimentação, para reter os talentos e evitar a rotatividade de funcionários.

4. Dê feedbacks constantemente 

A empresa que oferece feedbacks para seus funcionários, tanto positivos quanto negativos, mostra a atenção que tem pelo profissional e a importância que ele tem para a organização

Esse sentimento de ser acolhido e ter um retorno sobre a sua atuação na empresa deixa os colaboradores felizes e, dessa forma, diminui as chances de um turnover.

Feedbacks são importantes para o desenvolvimento e para a produtividade dos funcionários, além de serem uma forma de acompanhar o que precisa ser melhorado e o que deve ser mantido para conseguir bons resultados

No entanto, é preciso saber realizar os feedbacks de forma a criar um ambiente confortável para o profissional: com assertividade, sem julgamentos e ouvindo o lado dos colaboradores. Fazê-los em intervalos pequenos de tempo é a maneira mais eficiente para adquirir um vínculo e construir confiança entre funcionário e gestor.

Evite o turnover com um sistema integrado de gestão

Para evitar um alto índice de turnover, as empresas precisam observar alguns aspectos, como:

  • Clima: como está o clima da área ou do negócio, se há algo que tem impactado a experiência do colaborador.
  • Mudanças: mudar sempre causa alguma insegurança. Então, processos de mudança, sejam de liderança ou de alguma operação da empresa, podem representar um risco de turnover se não forem bem gerenciados.
  • Atuação de liderança: se a liderança não é próxima, não dá feedbacks, não acompanha o colaborador, normalmente o turnover é uma consequência.
  • Coerência da atuação: não cumprir expectativas ou acordos firmados com o colaborador, seja de cargo, atividades ou remuneração, podem levar ao turnover.

No entanto, o turnover pode ser mais facilmente evitado quando a empresa conta com um sistema integrado de gestão (ERP), que possibilita uma base de dados para análise de quantidade de colaboradores, tempo de casa, enquadramento salarial, motivo da saída, entre outros indicadores. Com isso, é possível fazer a gestão do turnover, analisando e compreendendo os motivos dele, se há algum cargo, área, líder ou motivo que se destaque.

“Com o ERP, é possível antecipar possíveis casos de turnover, monitorando funcionários que estão com salário abaixo do mercado, por exemplo, ou outros indicadores que possam sinalizar um fator de saída. Fazer isso manualmente é inviável e a possibilidade de se chegar à causa raiz sem uma plataforma de gestão é bem mais difícil”, explica Mariá Menezes, diretora de Pessoas e Cultura da Sankhya.

“Em alguma medida, o turnover é saudável para oxigenar a empresa com novas visões, conhecimentos e perspectivas. Contudo, se o turnover está gerando prejuízos na entrega para o cliente ou se está gerando sobrecarga aos colaboradores, a empresa precisa se preocupar. Além disso, se não há uma boa gestão de conhecimento e existe uma alta dependência de alguns colaboradores para a execução de processos, eu também vejo um risco para a sustentabilidade do negócio. A empresa não pode permitir que apenas um colaborador saiba realizar determinado processo e correr o risco de ele pedir demissão, por exemplo”, completa Mariá.

Veja como o ERP Sankhya auxilia na gestão de pessoas:

Quer uma demonstração completa do nosso ERP? Fale com um consultor.

Sobre o autor
Kaísa Martins

Jornalista especialista em Comunicação Empresarial. Escreve sobre o mercado de TI há 13 anos.

Conheça o ERP Sankhya na prática

Informe seus dados para acessar o tour pela solução Sankhya.